Por que defendemos reajuste mensal de salário?

Todos os meses o IBGE divulga o INPC, ou seja, o índice que mede o aumento de preços dos produtos necessários para sobrevivência da maioria da população. Esta subida do valor das mercadorias não é acompanhada pelos salários, que acabam acumulando perdas durante os anos. Como diz o ditado popular: os preços vão de elevador, o salário de escada. O dinheiro que ganhamos hoje tem um poder aquisitivo menor que no mês anterior.

Por esse motivo, defendemos que os reajustes de salários sejam mensais. É o que chamamos de Gatilho Salarial. Todo o mês nossa categoria teria seu pagamento reajustado de acordo com o valor da inflação correspondente. É importante frisar que isso não significa defender “aumento salarial”, mas a manutenção das nossas atuais condições de vida.

Isso também não inviabiliza o período de data-base – quando os sindicatos negociam com os patrões as pautas de reivindicações dos trabalhadores. Ocorre que a partir do momento que o Gatilho Salarial é aprovado, a luta dos trabalhadores ganha uma nova forma. Os sindicatos não precisam mais se preocupar em discutir “perdas salariais” ou “garantir a inflação”. O centro da luta passa ser o ganho real, as condições de trabalho e outros avanços.

Diante disso, o Sinsej entende que “os contratos coletivos devem assegurar o aumento automático dos salários, correlativamente à elevação dos preços dos artigos de consumo”. Esta formula foi defendida há muitos anos por Leon Trotsky, um dos líderes da Revolução Russa de 1917.

A direção do sindicato vai sugerir que o Gatilho Salarial esteja na Pauta de Reivindicação da Campanha Salarial 2015 dos servidores de Joinville. Esta seria uma vitória para a melhoria do nível de vida da categoria.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

2 × 3 =