Servidores paralisam e participam de assembleia

dsc_0135
Foto: Kályta Morgana de Lima

Com auditório lotado, aconteceu na sexta-feira (11/11) assembleia geral com paralisação dos servidores de Joinville. O encontro pautou, além dos cortes e ataques do governo federal, a garantia de remuneração com abono para quem trabalha no período de recesso de fim de ano, o calendário escolar 2017 e o 8º Congresso da Federação dos Trabalhadores Municipais de Santa Catarina (Fetram-SC).

Ulrich Beathalter, diretor do Sinsej, iniciou a assembleia com uma análise da situação política do país e explicou como isso tem afetado o serviço e os servidores públicos. Os mais de 50 projetos de lei que retiram direitos da classe trabalhadora e da juventude, que tramitam no Congresso Nacional, somam-se a outros retrocessos, como a reforma da Previdência, reforma do ensino e PEC 241 (PEC 55 no Senado), que congela os gastos com o serviço público pelos próximos 20 anos. “Eles usam a crise econômica como desculpa para atacar nossos direitos, mas não contam nem metade da história”, explicou Ulrich, se referindo à dívida pública, que retira mais de 47% do orçamento da União e entrega aos empresários e banqueiros.

Consultores Legislativos na luta

Os servidores da Consultoria Legislativa da Câmara de Vereadores de Joinville participaram da assembleia e explicaram aos presentes a luta que estão tendo no seu local de trabalho, com a alteração na estrutura da Casa. Eles se juntam à luta da categoria e pedem apoio a todos servidores para que essa alteração não seja feita. “Vamos continuar firmes, não vamos permitir que extingam a consultoria legislativa”, explicou um dos servidores.

Abono no recesso e calendário escolar 2017

Como discutido com os servidores, não é o recesso que está ameaçado, mas a remuneração (abono) aos que trabalham nesse período. No ano passado, a Prefeitura se recusou a pagar esse direito desses trabalhadores. O Sinsej solicitou uma audiência com o prefeito Udo Döhler para antes do dia da assembleia, mas ela foi marcada apenas para o dia 16, próxima quarta-feira. Além do abono, a diretoria discutirá com o governo sobre o calendário escolar 2017. Foi decidido na assembleia que o sindicato entregará uma proposta de calendário à Prefeitura e, a partir da resposta, a categoria decidirá os próximos encaminhamentos.

Uma nova assembleia está marcada com os servidores para discutir a resposta da Prefeitura para estas questões. Ela será na próxima quinta-feira (17/11), às 19 horas, no auditório do Sinsej.

Congresso Fetram

Acontece nos dias 1º, 2 e 3 de dezembro, o 8º Congresso da Federação dos Trabalhadores Municipais de Santa Catarina (Fetram-SC), ao qual o Sinsej tem direito a 35 delegados. Esse encontro definirá a política que será aplicada no próximo período. A assembleia do dia 11 pautou a importância dos servidores participarem desse evento e elegeu os delegados da categoria.

Dia nacional de mobilização

Logo após o fim da assembleia, como decidido pelos presentes, os servidores se dirigiram à Praça da Bandeira para participar da manifestação contra os cortes, chamada nacionalmente. No ato, também participaram trabalhadores de outras categorias, bem como militantes de outros movimentos sociais da cidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dezenove − onze =