Dia 18 deve ser de unidade e determinação na luta em defesa da aposentadoria e dos serviços públicos

O Sinsej convoca os servidores públicos municipais de Joinville a mostrarem unidade e determinação em defesa da Previdência e do serviço público, e aderirem à greve por tempo indeterminado que inicia nesta quarta-feira (18).

O descaso dos governos passados e do atual com os servidores, seu futuro e sua aposentadoria não é novidade para nossa categoria que, por anos, foi induzida a acreditar que o Ipreville era superavitário mas agora está sendo ameaçada a perder o direito de se aposentar por causa de um déficit atuarial bilionário.

De acordo com um informativo do Ipreville de maio de 2010, o Instituto na época teria capacidade para bancar aposentadorias pelos próximos 75 anos. Porém, a auditoria realizada onze anos depois, a pedido do Sinsej, apontou uma série de irregularidades nas contas. Foram anos de plano de custeio inadequado após a instituição do Ipreville, de atraso ou falta de repasse das contribuições patronais e de utilização de recursos financeiros para outros fins que não os previdenciários. Também foram diagnosticados o ingresso de novos servidores sem a devida compensação, uma base cadastral incompleta e a utilização indevida de recursos previdenciários em pagamento de aportes que a prefeitura deixou de fazer.

A partir da auditoria foi possível comprovar tanto a má gestão com o Ipreville, como a má fé do prefeito Adriano Silva (Novo) em querer que a categoria pague essa conta com seus direitos. E, mesmo não concedendo o reajuste salarial deste ano, Adriano quer aprovar projetos que: aumentam em 3% a contribuição do servidor para a Previdência; aumentam a idade mínima e reduzem o valor da aposentadoria em até 40% da média geral; implementam o teto do INSS para o valor do benefício; reduzem em até 50% a pensão por morte; e criam uma previdência complementar que pode aumentar a contribuição de quem recebe acima do teto em até 8,5%.

É preciso cobrar dos verdadeiros responsáveis. Por isso, além de protocolar denúncia no Ministério Público e na Secretaria Especial da Previdência do Mistério do Trabalho, o Sinsej também vai solicitar a realização de uma CPI do Ipreville na Câmara. Essa conta não é nossa! Vamos juntos exigir a retirada imediata dos projetos de reforma que tramitam na Câmara de Vereadores!

Sinsej chama categoria à greve contra reforma da previdência

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

3 + 20 =