A máfia e as terceirizações

Na manhã desta terça-feira (6), o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e o Grupo Especial Anticorrupção (GAEAC), a pedido do Ministério Público, realizaram uma grande operação em diversos municípios de Santa Catarina, incluindo Joinville. O objetivo era apurar se houve fraudes, corrupção e lavagem de dinheiro na coleta de lixo nas cidades catarinenses.

Ao todo foram 108 mandados de busca e apreensão e 15 mandados de prisão preventiva em diversas regiões do estado. De acordo com o Ministério Público de Santa Catarina, a operação corre em segredo de justiça e mais informações não podem ser divulgadas. Porém, informações dão conta que empresas também estão sendo investigadas.

Muitos dos casos de corrupção se dão através da terceirização de serviços públicos, quando o estado se abstêm da responsabilidade de gerir esses serviços, deixando isso para a iniciativa privada. Em Joinville, temos as Organizações Sociais (OS) tentando assumir unidades de saúde e hospitais.

O Sinsej chama a atenção para os setores que estão sendo terceirizados na cidade de Joinville. A máfia das terceirizações é uma realidade em várias cidades do país. Por isso, é preciso defender o serviço público do município.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

2 × um =