Servidores discutem Campanha Salarial em assembleia no Sinsej

Os servidores públicos de Joinville se reuniram nesta quarta-feira (31) na sede do Sinsej para a Assembleia Geral da categoria. Em pauta estavam a Campanha Salarial, a eleição de delegados para o congresso da CUT e demais encaminhamentos.

Na assembleia, a categoria aprovou os avanços conquistados até aqui na Campanha Salarial, que foram:

– Reajuste de 4,18% no salário e no vale-alimentação;

– Pagamento do Adicional por Tempo de Serviço (ATS) e licença-prêmio;

– Abertura de novo concurso público para a educação e para as demais áreas;

– Garantia de orientador e supervisor escolar em todas as unidades;

– Licença por doença de filho maior de idade com deficiência;

– Garantia de recesso escolar para cozinheiras e agentes administrativos efetivos;

– Garantia do cumprimento do estatuto para transferências;

– Capacitação dos servidores na utilização dos sistemas informatizados da prefeitura;

– Materiais didáticos para o combate ao assédio moral;

– Abertura de protocolo médico para tratar servidores com Síndrome de Bornout;

– Construção do calendário escolar junto com o sindicato.

Em relação aos servidores aposentados, direção do Sinsej se reuniu com o presidente do Ipreville, Guilherme Casali, para debater a revisão da aposentadoria em razão do descongelamento do período da pandemia.

O instituto está realizando a revisão para todos os servidores que receberam a diferença do adicional de tempo de serviço até o dia 20 de maio. Porém, o Ipreville alega que o processo está lento, devido a falta de servidores para realizar a função.

Quanto aos servidores que se aposentaram entre 28 de maio de 2020 e 31 de dezembro de 2021 a revisão ainda é incerta devido a um parecer da Procuradoria Jurídica do Município. No entanto, o Ipreville se comprometeu a dialogar com a prefeitura com o objetivo de fazer a revisão administrativamente.

As pautas sociais da Campanha Salarial serão discutidas em novas reuniões entre o sindicato e a Secretaria de Gestão de Pessoas.

Embora tenha avançado em algumas pautas, o Sinsej seguirá lutando contra as terceirizações e as Organizações Sociais. O sindicato também irá cobrar do executivo para que o concurso público seja abrangente e consiga resolver o problema da sobrecarga de trabalho dos servidores, além de garantir a saúde financeira do Ipreville.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dois + catorze =