Nem golpismo, nem divisionismo. O Sinsej é de todos os servidores!

O divisionismo sempre foi um método nefasto usado por pelegos para enfraquecer a luta sindical. O único objetivo dessa gente é abocanhar a contribuição sindical que está prestes a ser aprovada, viver como marajás e sufocar toda e qualquer luta da categoria que foi enganada por esses mandriões.

O Sinsej é, indiscutivelmente, um sindicato que tem uma rica história combativa na defesa dos direitos dos servidores públicos de Joinville. Por isso, foi com surpresa e indignação, que recebeu a notícia de uma tentativa em curso de divisão de sua base sindical, através de uma assembleia convocada para dia 31 de julho.

A diretora de base do Sinsej, Sandra Wilhelm, Agente Comunitária de Saúde (ACS) no bairro Morro do Meio, que até pouco tempo era liberada pelo sindicato e por ato equivocado e infeliz, pediu a saída da liberação, passou a articular com um assessor do deputado estadual Mauricio Peixer (PL), a formação de um sindicato para dizer que é seu, com os Agentes Comunitários de Saúde e os Agentes de Combate às Endemias (ACE).

Cabe destacar que a direção do Sinsej nunca faltou com os ACS’s e ACE’s nas lutas de suas demandas e reivindicações. SEMPRE esteve ao seu lado, inclusive obtendo grandes conquistas. Isso, desde 2011, quando lutou pela regulamentação da profissão, pela paridade salarial com o funcionalismo público e pela integração de ser estatutário especial. Durante toda a gestão de Ulrich Beathalter e de Jane Becker, foram muitos embates com vitórias, como o direito a gratificação, triênio e insalubridade (20%). Inclusive, a assessoria jurídica do Sinsej tem uma ação judicial em curso que requer o grau máximo de insalubridade (40%) e o pagamento do retroativo para a categoria.

Essa tentativa de romper os ACS’s e ACE’s da base do Sinsej, além de enfraquecê-los, vai debilitar também a categoria dos servidores como um todo e fortalece de sobremaneira o prefeito Adriano Silva (NOVO) e os políticos oportunistas, porque toda divisão causa atritos que só beneficiam os poderosos, loucos para deixarem os servidores de joelhos. É a velha tática milenar da arte da guerra, dividir para reinar.

Quanto a diretora do Sinsej, Sandra Wilhelm, sua tentativa de traição divisionista contra a categoria dos servidores, terá consequências políticas e jurídicas. Ela vai responder por isso.

Se há um sindicato combativo que atende as demandas e luta pelas reivindicações dos ACS’s e ACE’s, qual o sentido de dividir a categoria e romper com o Sinsej? Quem está por trás disso? Que interesses escusos há nesse movimento? Sandra está sendo usada para quebrar a força do Sinsej, mas não vai conseguir.

One thought on “Nem golpismo, nem divisionismo. O Sinsej é de todos os servidores!

  • 28 de julho de 2023 em 21:32
    Permalink

    A tentativa de divisionismo na luta sindical é uma tentativa de desmobilização da categoria.
    A tática utilizada ao longo do tempo nos meios políticos é dividir para reinar!
    Infelizmente servidores oportunistas cujos interesses privados falam mais alto,trabalham pela divisão do movimento sindical!
    Que sejam identificados esses servidores integrantes do sindicato e respondam judicialmente pelos seus atos!
    Como disse um amigo particular:Fora lambe botas do atual mandatário da PMJ.
    E meu amigo prosseguiu:tentar dividir o movimento sindical para fortalecer o atual prefeito,só o que faltava!
    Falta a esses servidores,o principal no movimento sindical (consciência de classe).Precisam de um curso urgente de educação política e sindicalismo!

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

um × um =