Sem acordo, greve dos transportadores de valores continua

Publicado em A Notícia

Funcionários rejeitam proposta e empresas vão à Justiça para garantir serviço

Os funcionários das empresas de transportes de valores recusaram a proposta das empresas e decidiram continuar em greve por tempo indeterminado. Em Joinville, cerca de 300 profissionais estão de braços cruzados e prometem permanecer assim até que as empresas ofereçam um valor maior de reajuste de salário. Além de Joinville, os vigilantes são responsáveis por abastecerem caixas eletrônicos outras 16 cidades da região, além de cuidarem da manutenção dos caixas.

A situação pode comprometer os caixas eletrônicos da cidade, onde há previsão de falta de dinheiro, principalmente neste fim de semana, já que muitos servidores públicos receberão salário hoje.

O advogado do Sindicato das Empresas de Segurança Privada e Transporte de Valores do Estado de SC, Aluisio Guedes Pinto, disse que solicitaria ao TRT, ainda ontem, a análise do pedido de liminar que exige a manutenção mínima do serviço de transporte de valores no Estado. “Julgamos que este trabalho é essencial para a comunidade, por isso solicitamos que sejam mantidos, nos horários de pico, 70% do contingente dos funcionários do transporte e, nos demais horários, 50% do contingente”, informou.

Conforme o Sindicato dos Empregados de Transporte de Valores de Santa Catarina (Sintravasc), a categoria quer 10% de reajuste para os próximos dois anos, mas as empresas teriam oferecido um aumento de 6,34%. Eles querem também o fim da compensação de horas extras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete + três =