Extinção do cargo de técnico em eletrônica

O projeto de lei 18/2011, que extingui o cargo de técnico em eletrônica do Hospital Municipal São José (HMSJ) foi pauta da comissão de saúde da Câmara de Vereadores ontem (13/7), mas não recebeu parecer por falta de quórum. Os dois trabalhadores que exercem essa função, a direção do hospital e o Sinsej utilizaram o espaço para discutir a questão.

O projeto enviado pela Prefeitura trata de acabar com o cargo desses profissionais para criar o de fonoaudiólogo. A intenção do hospital é aprofundar a terceirização que já ocorre desde o governo anterior. Porém, não há nenhuma justificativa para que o mesmo serviço não seja feito pelos dois servidores que se encontram ociosos, sem poder exercer as atividades para as quais prestaram concurso e foram contratados.

O processo de terceirização sempre ocorre da mesma forma: com a precarização do serviço, após um longo período sem investimento em qualificação profissional e em equipamentos. Depois disso, fica mais fácil justificar a entrega a empresas privadas.

Para o Sinsej, os valores pagos à empresa terceirizada deveriam ser utilizados para a compra de ferramentas e a qualificação desses servidores.

Já a contratação de fonoaudiólogos é uma medida necessária, mas não deve ser atrelada à extinção de outro cargo.

O projeto voltará a ser discutido na próxima reunião da comissão de saúde da Câmara de Vereadores, na próxima quarta-feira (20/7), ás 15 horas.

Veja o projeto:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 5 =