Contra a privatização da Expoville

Área tem mais de 209 mil m². Foto: Internet

Tramita na Câmara de Vereadores de Joinville um projeto de lei de origem do Executivo para privatizar o Complexo da Expoville (193/2011). Na justificativa, o prefeito Carlito Merss afirma que o poder público tem como marca registrada a burocracia, e que a gestão desse equipamento precisa de dinamismo para poder concorrer comercialmente.

O Sinsej é contrário a esses argumentos e vê a alegada incapacidade de administração como desculpa para a entrega do patrimônio público à iniciativa privada. Esse é o princípio de todas as privatizações em qualquer governo e não é verdadeiro.

O projeto prevê que a concessionária escolhida faça reformas nos pavilhões Wittich Freitag e Nilson Bender, no restaurante ao lado do lago, no Moinho e na casa enxaimel; bem como a construção de um Centro de Convenções, melhoria dos acessos viários e revitalização do parque ecológico. Além disso, a empresa ganhadora deverá repassar ao poder público parte dos lucros. Se é possível atender a todas essas especificações e ainda ganhar dinheiro – pois de outra forma nenhuma empresa aceitaria – por que a Prefeitura não pode fazer o mesmo, revertendo todo o lucro diretamente para a sociedade?

O Sinsej condena a privatização de patrimônios públicos e defende o investimento em funcionários de carreira e melhores condições de trabalho como forma de garantir a qualidade dos serviços ofertados à população.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × quatro =