Escola estadual de Garuva foi municipalizada

Os diretores do Sinsej acompanharam na noite de segunda-feira (9/1) a sessão extraordinária da Câmara de Vereadores de Garuva, que aprovou a municipalização da Escola Estadual Tancredo Neves. A decisão dos parlamentares desrespeita a vontade da população que pediu a rejeição da proposta por meio da Audiência Pública de 10 de dezembro e de um abaixo-assinado com mais de 600 assinaturas.

A sessão também desrespeitou o regimento da Câmara, pois não foi convocada pelo presidente da Casa, Valdemar Dierschnabel, mas por uma dos demais vereadores. Além disso, nem todos os parlamentares foram comunicados. Na última discussão sobre o assunto, em 19 de dezembro, o presidente havia se comprometido a não colocar o projeto em votação antes do início do ano legislativo, mas descumpriu a promessa, acatando o pedido do prefeito, João Romão.

Seis dos nove vereadores estavam presentes, desses apenas um foi contrário à proposta. A municipalização, a longo prazo, significa a precarização do ensino, pois os municípios não têm condições de assumir essa estrutura.  Os trabalhadores também saem prejudicados, principalmente em cidades pequenas, como Garuva, pois a Escola Tancredo Neves é a única da rede estadual.

Além do Sinsej, o Sinte Joinville, professores e comunidade em geral participaram da sessão de segunda-feira. Eles protestaram e pediram a leitura da ata da Audiência Pública de 10 de dezembro, mas foram ignorados. A municipalização é valida a partir do ano letivo de 2012.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 2 =