Nota de Apoio aos Servidores Federais em Greve

O Decreto nº 7.777/2012 é arbitrário, ilegal e inconstitucional.

O governo, numa tentativa desesperada de enfrentar, por meio da força, a greve dos servidores publicos federais,  ressaltando o Ministério da Saúde e Anvisa, em vez de negociar, coloca em risco a sociedade e a segurança nacional ao conceder para os estados, municípios e Distrito Federal poderes para a execução de atividades que, segundo a Constituição Federal/1988, são prerrogativas da União e indelegáveis.

Na ausência de disposição democrática para negociar e apresentar uma proposta concreta à pauta dos servidores públicos federais, o governo da presidente Dilma Rousseff busca apropriar-se de poderes somente concedidos aos chefes de Estado em situações de guerra, estado de sítio e calamidade pública.

Os sindicatos que representam os servidores estaduais e municipais repudiam o Decreto nº 7.777/2012 e convocam todos a não aderirem à proposta que coloca trabalhador contra trabalhador que está lutando pelos seus direitos Constitucionais. As entidades sindicais repudiam esse ato insano da presidente Dilma Rousseff que tenta substituir servidores em greve por outros que não foram treinados, colocando em risco à população.

Apoiamos a luta dos servidores públicos federais que foram forçados, pelo próprio governo, a utilizar o instrumento da greve como última forma de tentar abrir um canal de negociações sobre a pauta de reivindicações entregue em janeiro de 2012 e até agora sem uma resposta. As reivindicações dos servidores são justas e apontam para a valorização dos servidores e dos serviços públicos, tão necessários à grande maioria da população brasileira.

Sindicato dos Servidores Públicos dos Municípios de Joinville, Garuva e Itapoá (Sinsej)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove + 6 =