Assembleia considera atraso de salário inaceitável

Mais de 100 servidores municipais compareceram na assembleia geral da categoria, realizada nesta quarta-feira (9/1), na sede do Sinsej. Na pauta estavam o atraso no pagamento dos salários e o parcelamento da dívida da prefeitura com o instituto de previdência dos servidores municipais, o Ipreville. Durante o encontro os servidores formularam uma carta que será entregue ao prefeito Udo Döhler, expressando a posição da categoria quanto ao atraso nos pagamentos. O documento, aprovado por unanimidade e assinado pelos servidores presentes, deixa claro que os trabalhadores entendem como injustificável o atraso nos salários, assim como inaceitáveis as declarações do Executivo Municipal, que informou desconhecer a inexistência de recursos para cumprir com a folha do mês de dezembro. A carta afirma também que o objetivo do Sinsej e da categoria, não é desgastar a administração, mas sim mostrar que os trabalhadores não se omitirão se essa ilegalidade se repetir. Caso o depósito dos 60% restantes não seja efetuado nesta quinta-feira, não está descartada a hipótese de paralisação.

Confira o documento na íntegra.

O outro importante ponto na pauta da noite, o parcelamento da dívida com o Ipreville, teve como deliberação unânime, a elaboração de outra carta que será entregue ao Conselho do Ipreville, solicitando aos conselheiros que não aprovem a solicitação da Prefeitura e exijam o pagamento integral da dívida. Conforme divulgado nesta semana, o governo municipal pretende solicitar ao Ipreville o parcelamento de uma dívida que se aproxima dos $30 milhões. O montante é referente ao atraso nos repasses previdênciários do funcionalismo municipal e corresponde a quatro cotas patronais (valores devidos pelo empregador) e uma cota segurado (valores já descontados dos trabalhadores). A dívida soma ainda parcelas atrasadas de outro parcelamento, realizado em 2012, além das cotas patronal e segurado da folha do mês de dezembro, que foi parcelada na última semana pela falta de provisão.

A preocupação da categoria é de que esse parcelamento possa ferir a saúde financeira do instituto, que tem como perspectiva dobrar o números de inativos ainda em 2013. O documento deverá ser entregue na reunião do conselho, que será realizado na próxima segunda-feira, dia 14, quando também serão apresentados os dados do balanço atuarial do instituto, que deverá apontar as atuais condições financeiras do Ipreville. O parcelamento precisa ainda ser aprovado na Câmara de Vereadores (CVJ) para ter efeito. Caso a reivindicação da categoria não seja aceita no Ipreville, os servidores já decidiram que deverão seguir à CVJ para solicitar aos vereadores que não aprovem o projeto. A sessão que deliberará sobre esta questão, deverá ser convocada pelo prefeito de forma extraordinária nos próximos dias.

Outros temas também foram pautados na assembleia, como o pagamento de horas extras no período do recesso para os servidores do Hospital São José, o cumprimento do calendário escolar para todos os servidores da educação e o cumprimento das horas atividades nos CEIs. Para tratar destes assuntos, o sindicato irá procurar a Prefeitura e os devidos secretários nas próximas semanas. O objetivo é garantir que todos os acordos firmados entre a Prefeitura e a categoria durante a última gestão municipal, sejam cumpridos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − dois =