Sociesc processa estudantes

Manifestação dá início à organização de um DCE. Foto: Tiago de Carvalho
Manifestação dá início à organização de um DCE. Foto: Tiago de Carvalho

A Sociesc, entidade de ensino privado de Joinville que conta com cerca de 5 mil alunos, está processando oito estudantes por uma manifestação realizada no campus do Bairro Boa Vista, no dia 13 de agosto, contra a cobrança do estacionamento instituída no segundo semestre de 2013. A manifestação pacífica organizada pelos estudantes iniciou um movimento pela criação do Diretório Central dos Estudantes da Sociesc.

Ela teve a participação de quase mil alunos e teve o objetivo de chamar a atenção para a cobrança do estacionamento ter sido criada sem que o assunto tivesse merecido uma discussão na comunidade acadêmica, tratando-se, portanto, de uma imposição da direção da escola. Isso, é claro, além das exorbitantes mensalidades escolares.

A decisão da direção da Sociesc de processar os oito estudantes e mais um ex-presidente do Centro Acadêmico de Direito da Univille demonstra no mínimo uma exagerada ausência de sensibilidade e pouco tato com uma reivindicação fundamental dos alunos, ou seja, o direito de ir e vir dentro do campus sem pagar uma taxa do tipo ‘pedágio’. As taxas escolares já exploram muito estas centenas de estudantes que não têm a oportunidade de acessar a educação pública superior, um crime cometido pelos governos brasileiros que se sucedem.

A comunidade de Joinville tem o dever de saber que os oito estudantes respondem a processo administrativo disciplinar, acusados de serem culpados pelo furto de um veículo ocorrido nas imediações da Sociesc no dia da manifestação, quebra das regras de convivência no campus e invasão do estabelecimento para impedir o seu bom funcionamento. Um nono cidadão processado é acusado de ameaçar a orientadora pedagógica da casa, sem provas nem indícios.

Aparentemente, levando-se em conta este acontecimento, o corpo dirigente da Sociesc nada aprendeu com todas as manifestações ocorridas no Brasil no último mês de junho, nem lembra que a juventude, os trabalhadores, a população inteira têm o direito indiscutível de manifestação e expressão de suas opiniões. Esta garantia pode até não encontrar-se nas regras internas da Sociesc, mas encontra-se na Constituição Federal da República.

Por tudo isso, é preciso que a Sociesc repense sobre os processos que abriu contra os estudantes em vista da manifestação do dia 13 de agosto e de imediato promova a anis-tia de todos os alunos envolvidos, o que deve vir acompanhado de um pedido de desculpas oficial, além da revogação da cobrança do estacionamento.

Aos alunos e sua legítima decisão de criação da sua entidade geral de representação, organização e luta, o Diretório Central dos Estudantes da Sociesc, toda a solidariedade e auxílio que necessitarem nesta importante empreitada.

-Anistia a todos os processados pela Sociesc
-Todo apoio à criação do DCE dos Estudantes da Sociesc

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dezoito − 8 =