Declarações e abaixo-assinado foram protocolados

Na manhã de hoje (23/7) foram entregues na secretaria Gestão de Pessoas (SGP) as declarações sobre o desconto dos dias de greve, deixadas no Sinsej pelos servidores. O modelo deste documento foi preparado pelo sindicato substituindo o da Prefeitura. Nele, o servidor informa que está disposto a repor as horas paralisadas e que, somente se o Executivo manter sua decisão de descontar, opta entre as duas formas de desconto.

A direção do Sinsej também entregou no gabinete do prefeito o abaixo-assinado que pedia o direito de reposição das horas. Esse documento reuniu assinaturas de trabalhadores que concordam com a reposição de todas as horas de paralisação, incluindo os que não aderiram à paralisação este ano.

As assinaturas demonstram que o argumento utilizado pelo prefeito Udo Döhler, de descontar os dias em “respeito” aos que permaneceram trabalhando, não tem respaldo algum na categoria. A atitude também demonstra a preocupação dos servidores em repor os serviços à população.

O posicionamento da Prefeitura impedirá o cumprimento de 200 dias letivos. Na saúde, a imprensa noticiou 600 cirurgias canceladas e outras centenas de procedimentos represados pela greve. O mesmo se aplica a todos os demais setores do funcionalismo. Para o Sinsej, ainda que estes números tenham sido superfaturados para denegrir o movimento, Joinville não pode abrir mão da reposição de 13 dias de trabalho no serviço público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − três =