Por que precisamos trabalhar mais de 44 horas?

2016-8-4_banner-horas_texto-Veiga

No mês de julho diversos servidores foram notificados pelo Município de Joinville a prestar esclarecimentos acerca do acúmulo de cargos públicos que possuem. Com isso, o Município fez ameaças de instauração de Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD) e exoneração dos trabalhadores que possuíssem carga horária superior a 60 horas semanais.

Para além da questão legal nos cabe questionar: o que leva o servidor público a trabalhar mais de 60 horas semanais? Para abordar essa questão, é preciso primeiro um pequeno resgate histórico sobre a jornada de trabalho.

Entre os séculos 18 e 19, notadamente começo da Revolução Industrial, o tempo dedicado ao trabalho incluía jornadas de 12 a 16 horas diárias. Não havia qualquer pausa no final de semana, além de baixos salários e péssimas condições de trabalho. Uma jornada visivelmente exploratória.

Com o avanço dos movimentos reivindicatórios, chegamos ao que definimos hoje como jornada de trabalho. No Brasil é de 44 horas semanais, com no máximo 8 horas diárias. Em democracias mais avançadas, como é o caso da França, trabalha-se 35 horas por semana.

É evidente que ainda podemos – e devemos – avançar mais neste quesito aqui no Brasil. Existem lutas e campanhas no país pela redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais.

Disso poderíamos concluir que hoje nenhum trabalhador se vê obrigado a trabalhar mais do que a jornada de trabalho regulamentada. Uma vez que o seu salário, fruto do seu trabalho assalariado, deve suprir as suas necessidades. Porém, observamos que esta não é a realidade.

Leia este texto completo no Blog do Sinsej e aproveite para conhecer este importante espaço de debate

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco + dezenove =