Décimo dia: a greve continua

No fim do dia, servidores acompanharam sessão da CVJ. Foto: Francine Hellmann
No fim do dia, servidores acompanharam sessão da CVJ. Foto: Francine Hellmann

Há dez dias em greve, os servidores de Joinville aprovaram hoje (22/5) a entrega de uma contraproposta à Prefeitura. O documento foi protocolado pelos diretores do Sinsej à tarde. No fim do dia, a categoria lotou novamente o plenário do Legislativo para garantir que o projeto que concede o reajuste não fosse votado.

Os servidores esperavam que a Prefeitura reabrisse as negociações hoje. Ontem, o presidente da Câmara, vereador João Carlos Gonçalves (PMDB), comprometeu-se em conversar com Udo Döhler. Além disso, o próprio prefeito afirmou por telefone que voltaria a dialogar com o sindicato. Porém, em mais uma atitude dura para com os trabalhadores, o governo não se manifestou.

Diante disso, a categoria decidiu em assembleia esta manhã que continuaria em greve e aprovou o envio de contraproposta. “Reparem que a categoria está fazendo um esforço muito grande para dizer claramente aos vereadores, ao prefeito e à comunidade que nós queremos uma solução negociada para o fim da greve”, disse o presidente do Sinsej, Ulrich Beathalter.

A contraproposta dos servidores pede que a prefeitura conceda um reajuste que não implique em perda salarial para a categoria, apresente o valor e a data de implementação do vale-alimentação para todos os servidores, negociação dos dias parados, manutenção dos itens já acordados e estabelecimento de uma mesa permanente para a discussão dos demais itens da pauta.

Amanhã o movimento segue com concentração dos comandos de greve às 8 horas e reunião de avaliação às 13 horas, no sindicato. À tarde, as comissões de Legislação e Finanças da Câmara de Vereadores acontecem a partir das 16 horas. O Sinsej convoca todos os trabalhadores a ocuparem os espaços do Legislativo a partir das 15h30.

Leia a contraproposta:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dezoito + 4 =