Entenda os acordos do fim da greve

Saiba como funcionarão os acordos do fim da greve e organize-se:

Reajuste

O reajuste de 4% vale a partir de 1º de maio, o que será depositado em 5 de junho. Os 1,5% a partir de 1º de novembro aparecerão em 5 de dezembro. Já os 1,6%, que começam a contar em 1º de dezembro, serão pagos em 5 de janeiro.

Abono

O abono é referente ao que o trabalhador deixará de ganhar com o parcelamento. A cada mês haverá uma diferença entre o reajustado e a inflação do ano anterior. Portanto, o abono será a soma desses valores, que será depositado para os servidores no dia 20 de janeiro. Ele será individual e nominal. Dessa forma, cada um receberá uma importância diferente – aproximadamente 20% do salário de abril. Essa quantia também será paga sobre as horas termo.

Vale-alimentação

Para o cálculo do novo teto do vale (R$ 2.400), não será somado o tempo de serviço (triênio), mas valerão as gratificações. A partir de agora, a data de depósito será o dia 25 de cada mês. Como o valor deste mês já foi depositado, o vale ainda estará com o valor antigo (sem os 20% de aumento conquistados nesta greve) e apenas para quem recebe até R$ 2.000. O novo valor será pago mês que vem com retroativo.

Reposição dos dias paralisados

10 de maio – dia da assembleia que deflagrou a greve – será completamente abonado. A reposição dos outros dias acontecerá hora por hora – não contando os dias de descanso. Os grevistas poderão fazer a compensação até o dia 20 de dezembro. O Sinsej orienta os trabalhadores a se organizarem e apresentarem a forma de reposição das horas para as chefias. Nos próximos dias, os servidores podem apresentar uma escala sobre como querem fazer a reposição. Pode ser usado o saldo positivo do banco de horas para compensar as horas paradas. Caso o servidor não consiga repor o tempo parado por culpa da prefeitura ou da chefia, as horas estão automaticamente abonadas. Se o funcionário não conseguir fazer a reposição até 20 de dezembro, o desconto acontecerá hora por hora – sem falta injustificada, sem desconto de final de semana e sem prejuízos à licença prêmio, férias e carreira.

Outros tópicos da negociação

Conforme a negociação aprovada no fim da greve, estão mantidos os pontos facultativos e o recesso do final de ano de acordo com os moldes históricos da categoria. Também está mantido o calendário escolar com a garantia de 15 dias de recesso em julho e a retirada de dois dias de plantão no final do ano. São itens acordados que precisam de regulamentação: regularização da lotação e transferência; hora atividade na educação infantil; extensão da gratificação para Pronto Atendimento (PAs); regularização sobre o acúmulo de férias; extensão do passe professor; regulamentação de horas termo; e pagamento do sétimo dia. Esses pontos terão sua regulamentação apresentada na forma de projeto de lei pela prefeitura na próxima semana. A relação completa dos itens acordados pode ser encontrada nos documentos do site.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dezoito + 11 =