Servidores aprovam trabalho do Sinsej

O Sinsej realizou uma pesquisa entre os servidores de Joinville, Garuva e Itapoá para identificar a avaliação e a satisfação da categoria com as atividades, serviços, direção e comunicação da entidade. O trabalho foi realizado pela empresa Síntese Pesquisas e Assessoria no início do mês de abril e revelou informações animadoras. Em geral, a maior parte da categoria respondeu positivamente às questões, mostrando que o trabalho desenvolvido até o momento está no caminho certo. A pesquisa também apontou assuntos onde é preciso melhorar e indicou, por exemplo, em que meios de comunicação os trabalhadores gostariam que o sindicato investisse.

Foram realizadas 716 entrevistas, com abordagem direta nos locais de trabalho das prefeituras dos três municípios. O questionário conteve 29 perguntas, espontâneas ou estimuladas. A margem de erro do resultado é de 3,66 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Com base nesta pesquisa, a direção da entidade traçará um plano de ações. A iniciativa deverá ser repetida em um ano para medir a eficácia das medidas adotadas.

Confira a pesquisa completa com seus extratos por cidades e filiação:

Relatório geral da pesquisa (envolve sócios e não sócios de Joinville, Garuva e Itapoá)

Relatório por sócios (envolve apenas quem respondeu que é filiado ao Sinsej, das três cidades)

Relatório por não sócios (envolve apenas quem respondeu que não é filiado ao Sinsej, das três cidades)

Relatório de Joinville (envolve servidores sócios e não sócios de Joinville)

Relatório de Itapoá (envolve servidores sócios e não sócios de Itapoá)

Relatório de Garuva (envolve servidores sócios e não sócios de Garuva)

Serviços

As primeiras perguntas feitas aos trabalhadores entrevistados foram relacionadas aos serviços do sindicato. No consultório odontológico, a avaliação é positiva. Identificou-se que 55,56% dos servidores não utiliza o serviço. Porém, dentre os que usam, a soma de quem o considera ótimo e bom é de 32,75%. Nenhuma pessoa considerou este atendimento péssimo, 1,46% o acham ruim e 3,8% regular.

No setor jurídico, o índice de utilização é aproximado, 57,60% não utilizam o serviço. Entre os demais, a soma dos que acham o atendimento bom ou ótimo é de 22,92%. As avaliações negativas, reunindo-se as classificações ruim e péssimo, são de 6,14%. Já 5,58% consideram o serviço regular.

A sede praiana do sindicato na Barra do Sul, por sua vez, não é utilizada por aproximadamente 68% dos servidores. Consideram-na boa ou ótima mais de 20% dos usuários e apenas 1,46% a avaliam como ruim ou péssima.

A recepção do Sinsej foi muito bem avaliada. Apenas 16,96% dos entrevistados informou não usá-la. O atendimento foi considerado por 6,73% como ótimo e por 61,11% como bom. Apenas 1,75% dos entrevistados responderam que acham o serviço ruim ou péssimo e 8,77% a classificam como regular.

Comunicação

O Jornal do Sinsej revelou-se o maior difusor de informações das notícias sobre o sindicato. Há cerca de um ano esse meio impresso tornou-se mensal e, de acordo com a pesquisa, hoje 20,72% da categoria informa-se sobre os assuntos da entidade por meio dele. Em seguida, quase empatada, está a comunicação boca a boca, com 20,34%. Estas duas formas de comunicação certamente são complementares, já que a distribuição do jornal suscita discussões. Panfletos e o site do Sinsej aparecem em seguida. Identificou-se que a categoria deseja receber mais informações pelo rádio e pelo site, o que indica necessidade de melhorias.

Direção

A atuação dos diretores do Sinsej é avaliada por 5,64% dos entrevistados como ótima e 44,43% como boa. Ruim e péssimo somam 4,23% e 16,22% consideram-na regular. Neste quesito, assim como em outros, o que mais surpreende é a quantidade de pessoas que não sabiam ou não quiseram opinar, 29,48%. Isso indica um grande campo de trabalho que ainda precisa ser cultivado para envolver mais trabalhadores na luta sindical. Esse último número cai para 11,70% entre os sócios, revelando que os filiados são mais atentos ao sindicato.

As atividades políticas desenvolvidas pelo Sinsej, como assembleias, reuniões, mobilizações, entre outras, são consideradas ótimas por 6,06% e boas por 45,85%. Novamente, é preciso prestar atenção aos 18,19% que responderam não participar. Entre os sócios do Sinsej, este número volta a cair, para 11,99%.

Sugestões

Uma das últimas perguntas feita nas entrevistas era se o servidor tinha alguma sugestão para que as atividades política do sindicato melhorassem. Mais da metade dos consultados afirmou não saber ou não querer opinar, mas dentre quem respondeu, ganhou o pedido de que as atividades sejam avisadas com mais antecedência, seguido pelo pedido de que haja mais reuniões. Entre os principais problemas da categoria, em respostas espontâneas, ganhou o salário defasado, seguido pela falta de um plano de saúde e de condições de trabalho.

Este texto foi publicado na edição 23 do Jornal do Sinsej

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

três × cinco =