Bibliotecários estão sofrendo desvio de função

O antigo agente administrativo 4 da Prefeitura de Joinville (bibliotecário), hoje auxiliar escolar, encontra-se diante de um impasse. Em reunião, dia 6 de agosto, no auditório do Sinsej, estes trabalhadores relataram que estão desempenhando atividades para as quais não foram concursados. Isso porque a Secretaria da Educação os está utilizando para substituir professores que faltam.

Além disso, as más condições de trabalho contribuem muito com adoecimentos. Ao utilizar auxiliares, orientadores escolares e supervisores para atendimento em sala de aula, o governo os deixa sobrecarregados e compromete a execução de suas reais atribuições. Essa situação prejudica o funcionamento da unidade escolar, a saúde dos servidores e a prestação de serviço à comunidade.

O Sinsej já encaminhou um ofício à Secretaria de Gestão de Pessoas solicitando que os auxiliares escolares sejam contemplados com a redução de jornada junto aos agentes administrativos das escolas – que obtiveram esta conquista com a última greve, para implementação em 2015.

Outro ofício foi enviado à Secretaria da Educação, comunicando que auxiliares, orientadores e supervisores escolares passarão a fazer valer o direito de desempenhar suas funções, não mais se submetendo a atividades que não lhes conferem.

O sindicato defende que professor seja substituído por professor e que é responsabilidade do governo garantir isso. Na segunda quinzena de setembro haverá uma nova reunião com a categoria para voltar a discutir essa situação, caso ela ainda não tenha sido resolvida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dois + 1 =