Telhado da Sama desaba e deixa diversos servidores feridos

Teto da Sama desabou na manhã desta quinta-feira | Foto: Aline Seitenfus

Por volta das 8h30 desta quinta-feira (28/2) parte do telhado da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente (Sama) desabou. Nove trabalhadores ficaram feridos e sete foram encaminhados ao Hospital São José (HSJ). Outros 20 foram atendidos no local pelo Corpo de Bombeiros Voluntários. Havia cerca de 40 funcionários na unidade durante o desabamento. Conforme informações da rede de notícias NSC, a “estrutura estava com o alvará de prevenção a incêndio e pânico vencido desde maio do ano passado”.

Os diretores do Sinsej foram até o local para se colocar à disposição dos servidores. Conforme relatos de alguns trabalhadores, o prédio tinha goteiras, infiltrações e a caixa d’água estava vazando. Apesar do pedido dos funcionários para que a Defesa Civil fosse acionada, nada foi feito. Uma servidora, presente no prédio durante o desabamento, disse que a única medida foi solicitar que um dos funcionários subisse no telhado e consertasse o vazamento da caixa d’água.

O presidente do Sinsej, Ulrich Beathalter, classificou essa situação como um desastre que poderia ter sido evitado se a Prefeitura Municipal atendesse uma das principais reivindicações da categoria: condições de trabalho adequadas.

Cerca de 40 servidores estavam no local durante desabamento | Foto: Divulgação

Estruturas precárias

Há anos, o Sinsej tem denunciando a precariedade das estruturas públicas no município. No dia 22 de fevereiro, servidores do Centrinho Luiz Gomes paralisaram suas atividades devido a infiltrações e goteiras. Em 2016 e 2017 os servidores da Policlínica Boa Vista se mobilizaram para exigir do governo o conserto da caixa d’água. O local também tinha goteiras, infiltrações e rachaduras e havia risco de desabamento.

Além dos problemas de estrutura das unidades, os funcionários da Prefeitura sofrem cotidianamente com a falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPI). Foi esse o motivo de paralisação das Sub Prefeituras, em 2017, que levou a uma greve de toda a categoria em outubro do mesmo ano.

“Esperamos que com essa tragédia anunciada a Prefeitura estabeleça um plano para que sejam revistas e restauradas as estruturas de todos os prédios públicos da cidade”, disse Ulrich.

Mobilização

Hoje à tarde, a partir das 14 horas, acontece a reunião do Conselho de Representantes por Local de Trabalho dos servidores de Joinville para definir a pré-pauta da Campanha Salarial 2019. Todos os representantes são chamados a participar dessa atividade. “É dever de todos nós, diante desse desastre, nos organizarmos e exigirmos do governo que ele leve a sério a vida dos servidores e garanta a segurança dos locais de trabalho”, disse Ulrich.

O Sinsej se coloca à disposição da equipe da Sama para realizar uma reunião e discutir medidas de responsabilização da Prefeitura, bem como para cobrar a segurança no local onde a secretaria for reaberta. Esse descaso do governo poderia ter um resultado ainda pior e continua ameaçando servidores de várias outras unidades da cidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

5 × 3 =