Categoria aguarda resposta do prefeito sobre recesso de final de ano

São milhares de famílias que dependem da decisão do prefeito Udo Döhler (MDB) para planejarem seus dias de lazer e descanso neste final de ano

O prefeito Udo Döhler (MDB) insiste em deixar a direção do Sinsej e os servidores sem resposta sobre questões importantes para categoria em pleno final de ano. Depois de cancelar a reunião que aconteceria na tarde do dia 10, o governo a remarcou para esta quinta-feira (19) às 14h. Na pauta está o recesso de final de ano; o abono natalino; o calendário escolar para 2020; a transferência das cozinheiras nos CEIs e o fim dos contratos temporários na educação antes do prazo.

A atitude desrespeitosa do prefeito está deixando a categoria apreensiva, já que precisa se organizar para o recesso e a volta ao trabalho em 2020. São milhares de famílias que dependem da decisão do governo para planejarem seus dias de lazer e descanso. O Sinsej está buscando respostas da Prefeitura desde o mês de novembro, quando a diretoria solicitou à Secretaria de Gestão de Pessoas da PMJ a extensão do recesso do dia 21 de dezembro a 5 de janeiro de 2020, o que beneficiaria grande parte dos servidores que vem trabalhando sob forte pressão devido ao excesso de trabalho ocasionado pelo quadro efetivo reduzido devido à falta de concurso.

A direção do Sinsej também está cobrando da prefeitura solução para o caso dos servidores temporários da educação. Apesar de ter prometido que não dispensaria nenhum trabalhador antes do término do contrato, a interrupção dos contratos tem sido denunciada ao Sindicato por alguns trabalhadores. Essa quebra de contrato é ilegal e o Sinsej exige que o prefeito Udo Döhler (MDB) cumpra sua palavra. Assim como a direção tem cobrado também respostas do governo sobre caso de transferência das cozinheiras e da proposta do calendário escolar para 2020 entregue à SED na semana passada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

onze + 20 =