Projeto do Ipreville é arquivado: Luta é recado para propostas maiores que acabam com direitos dos servidores

Nesta quarta-feira (23) os servidores públicos de Joinville conseguiram na Câmara de Vereadores o arquivamento do Projeto de Lei Complementar 003/2020, que pretendia aumentar a alíquota do Ipreville, de 11 para 14% e consequentemente reduzir 3% do salário da categoria. Em sessão que durou três dias, a maioria quase unânime dos vereadores aprovou o parecer contrário ao PLC, também aprovado na Comissão de Legislação na segunda-feira (21) após mais uma manifestação organizada pelo Sinsej. O único parlamentar que votou contrário ao parecer foi o empresário Ninfo König (PL).

De acordo com o parecer do vereador Richard Harrison (MDB), o projeto era legal, porém imoral neste momento de pandemia.

A luta para esse resultado foi árdua e teve início logo que essa proposta do prefeito chegou ao Legislativo. Contou com muita organização junto ao Sindicato, dura greve e disposição da categoria que se fez presente em todas as movimentações presenciais na Câmara e também virtuais.

Essa é uma vitória histórica que derrotou não só a tentativa do prefeito patrão Udo Döhler (MDB) de passar a responsabilidade de uma dívida de mais de 800 milhões da Prefeitura com o Ipreville para os servidores, mas sim um projeto maior do governo Bolsonaro de atacar direitos dos servidores e da população, que é a Emenda Constitucional 103/2019, da Reforma da Previdência.

O Sinsej parabeniza cada lutador desse combate e convoca a categoria a ficar alerta para os próximos desafios que estão batendo à porta dos servidores, como a Reforma Administrativa e também a PEC Paralela da Reforma da Previdência. Precisamos estar mais uma vez juntos para vencer mais essas batalhas!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

2 × cinco =