Nota de esclarecimento: Maurício Peixer ataca direção do Sindicato, enquanto oferece armadilha aos servidores

A direção do Sinsej vem a público repudiar os ataques pessoais do presidente da Câmara de Vereadores de Joinville, Maurício Peixer (PL), feitos na última terça-feira (27) à presidenta da entidade, Jane Becker, como também elucidar os fatos sobre a reunião com o vereador na manhã do mesmo dia.

Sem apresentar uma proposta condizente aos anseios dos servidores públicos que estão lutando pelo direito à aposentadoria, o mesmo vereador, que em 2020 votou contra o aumento da alíquota do Ipreville, decidiu justificar seu apoio ao governo de Adriano Silva lançando intrigas para dividir a unidade da categoria.

Da tribuna do Legislativo, o vereador disse que a presidenta do Sindicato negou arcar com os custos de uma auditoria independente no Ipreville, o que não é verdade. Em vários momentos, inclusive em ofício protocolado na própria Câmara no final do mês de março, o Sinsej afirmou sua disposição em bancar essa auditoria. No entanto, para que haja tempo suficiente para esse estudo, reivindica a retirada dos três projetos de reforma da Previdência em tramitação.

Peixer também diz que propôs a formação de uma comissão com a participação do Sinsej para estudar uma proposta de reforma supostamente “mais branda”. O fato é que não é papel do Sindicato formular, em conjunto com qualquer poder que seja, propostas que retirem direitos tão caros como a aposentadoria. Ao contrário, o Sindicato tem o dever de defender a manutenção e ampliação de direitos, por isso não aceita fazer parte dessa comissão, tampouco vai fomentar a participação de servidores. Uma proposta dessa é uma verdadeira armadilha para a categoria, que está sendo pressionada a pagar uma dívida que NÃO é dela, em pleno estado de calamidade pública.

A verdade é que na condição de base aliada do governo, Maurício Peixer quer dar ordens à direção sindical e, ao acusar a presidenta eleita da entidade de ser incapaz de comandar um Sindicato com o porte do Sinsej, ele menospreza o poder e a capacidade da categoria de decidir sobre as suas direções e sua história de lutas. Mas, organizados junto ao seu Sindicato, os servidores de Joinville já demonstraram nas ruas que estão decididos a combater em defesa dos seus direitos e que, com o apoio da comunidade, não vão arredar o pé da luta até conseguirem derrotar essas propostas que retiram direitos e desvalorizam serviço público.

Todos juntos em defesa da aposentadoria!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

onze + um =