Terceirizada coloca clínicos gerais para atender setor de pediatria na UPA Sul

A população da zona sul de Joinville já começa a sofrer com a terceirização na UPA Sul. O recém implantado setor de pediatria já convive com graves problemas que afetam a população. O Bethesda, entidade responsável por administrar o setor de pediatria da unidade contratou profissionais sem especialização no setor para realizar os atendimentos.

O setor de pediatria foi implantado no começo do mês e está sob gerência da instituição Bethesda. Porém, junto com a promessa de atendimentos não veio junto a estrutura para isso e nem os médicos. Quem leva seu filho ou filha na UPA Sul e acha que ele vai ser atendido por um pediatra, se engana. A terceirizadas responsável pelo setor contratou, entre os pediatras, clínicos gerais para o atendimento das crianças joinvilenses. A prefeitura prometeu uma coisa, mas está entregando outra.

Além disso, não há separação de setor para atendimentos. Crianças aguardam atendimento no mesmo local que pacientes adultos com suspeita de Covid, bebês de baixa imunidade junto a pessoas doentes, os corredores lotados, com pacientes sentados no chão.

A promessa de que a terceirização melhoraria o atendimento se mostrou mentirosa já nos primeiros dias de implantação. Não há estrutura, não há equipamentos e não há especialistas. Só há dinheiro público no bolso da iniciativa privada. A prática de sucateamento e precarização é comum em locais terceirizados. Elas recebem dinheiro público da prefeitura para administrar as unidades e para lucrar mais, economizam. Economizam nos funcionários, nos exames, nas medicações, em tudo o que podem.

Que o prefeito Adriano Silva (NOVO) não dá a mínima para a população joinvilense todos já sabíamos. Porém, o administrador da cidade não faz nem questão de fingir preocupação. Deixar uma unidade com a importância que a UPA Sul tem chegar ao estado em que ela está atualmente é não só irresponsabilidade. É também negligência. Qualquer cidadão que precisar da UPA hoje, vai se deparar com uma situação caótica.

Para lutar contra essa situação, o Sinsej convida os servidores e a população para um ato em frente a unidade na quinta-feira (14). A direção do sindicato estará durante todo o dia conversando com a população e com os servidores. A partir das 19 horas, haverá o ato contra a implantação das organizações sociais e em defesa do serviço público.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

5 × 4 =