Epidemia de Dengue é culpa da prefeitura e não da população

Na última segunda-feira (3), durante a reunião do Conselho Municipal de Saúde, o vereador Henrique Deckmann (MDB) colocou na população joinvilense a culpa pela epidemia de dengue que atinge a cidade. Segundo o parlamentar, o povo de Joinville é relaxado e não toma os cuidados necessários para evitar a proliferação da doença.

É verdade que a contribuição da população é fundamental para o combate a doenças como a dengue, mas o poder executivo e a Câmara de Vereadores não podem fugir das suas responsabilidades. É papel deles orientar os cidadãos e fiscalizar os locais que podem servir de foco para o mosquito transmissor da doença.

Joinville já passou por situação semelhante em 2022 e, ainda no ano passado, o Ministério da Saúde alertou a prefeitura de que o problema poderia se repetir em 2023. Mesmo assim não houve nenhuma campanha de conscientização foi feita por parte da prefeitura. Seria fundamental para o combate a doença, que o prefeito Adriano Silva (NOVO) usasse os canais de comunicação da prefeitura para chamar a atenção da cidade para o problema. Aos vereadores, cabia o papel de cobrar que a prefeitura para que realizasse essas ações com antecedência.

Além disso, a prefeitura também não tem colocado dado as condições de trabalho necessárias aos profissionais responsáveis pela tarefa de verificar os locais com possíveis focos de dengue. Os Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e os Agentes de Combate à Endemias (ACE) deveriam ter recebido uma verba de incentivo, vinda do governo federal, mas que não foi repassada pelo governo municipal.

Os ACS’s, inclusive, estão sendo retirados das ruas para trabalharem como recepcionistas nas unidades de saúde, no lugar de agentes administrativos. É mais uma ação do prefeito buscando a terceirização da saúde da cidade. Ao invés de realizar um concurso público para resolver de forma permanente o problema da falta de funcionários, Adriano Silva prefere seguir com a política de contratações, que servem apenas para tapar o buraco por um curto período de tempo.

Jogar nas costas da população a responsabilidade pela epidemia de dengue é uma forma encontrada pelo vereador Henrique Deckmann de passar pano para os erros da prefeitura na condução da situação. O governo municipal sabia e foi avisado sobre o risco que a cidade corria e mesmo assim não fez nada para evitar. Faltou orientação, cuidado e fiscalização por parte do prefeito e dos vereadores. Focado em entregar a saúde para a iniciativa privada, Adriano Silva esqueceu que tinha que se preocupar com a população e agora se viu obrigado a decretar situação de emergência por conta de uma situação da qual ele já havia sido alertado. Tudo isso com anuência dos vereadores, que preferem culpar o cidadão do que cobrar a prefeitura pelos seus erros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

20 − treze =