Sinsej cobra realização de concurso público em audiência na Câmara

A população joinvilense mostrou sua insatisfação com a gestão Adriano Silva (NOVO) na noite desta segunda-feira (19), em Audiência Pública da Comissão de Saúde realizada na Câmara de Vereadores.

As falas foram unânimes: a saúde de Joinville está um caos. Os relatos de filas, falta de profissionais para atendimento, falta de medicamentos e descaso com a população se repetem há meses e na Audiência voltaram à pauta. Um plenário cheio cobrou explicações e ações da secretaria Tânia Eberhardt e do prefeito Adriano Silva (NOVO).

A presidente do Sinsej, Jane Becker, foi contundente na sua fala. Só o concurso público vai resolver o problema da saúde na cidade. “Quando alguém me pergunta o que os servidores estão fazendo pela saúde em Joinville, eu respondo de pronto: milagre”, enfatizou Jane. Segundo ela, o plano do prefeito Adriano Silva (NOVO) de entregar as unidades públicas para a iniciativa provada é o grande responsável pelo caos na saúde pública joinvilense.

A secretaria Tânia Eberhardt admitiu a necessidade de um concurso público na cidade, mas usou a desculpa do limite prudencial para justificar a falta de ações da prefeitura na área da saúde. “Nós precisamos fazer concurso público? Sem sombra de dúvidas. Não há quem negue isso, que é preciso fazer concurso público. Só que nós chegamos em um limite prudencial, que é outro problema que vamos ter que resolver”, afirmou Tânia.

Porém, a falta de servidores públicos e a necessidade de concurso não são novidades em Joinville. O Sinsej cobra essas ações desde o início da gestão de Adriano Silva na prefeitura. Se ele chegou a junho de 2023 perto de um limite prudencial que o impede de resolver os problemas da cidade, é porque ele teve uma gestão ruim. Não é falta de dinheiro que impede a prefeitura de buscar resoluções para os problemas e sim a própria incompetência de um gestor que gastou mal o dinheiro da cidade.

E agora o que fará Adriano Silva? Vai deixar a situação como está? Ou seja, ele geriu mal os recursos e a população vai ter que pagar o preço por isso? Resolver o caos da saúde é uma responsabilidade da prefeitura e ela não pode se eximir disso. E nem jogar na mão da iniciativa privada, que vai oferecer um serviço pior e mais caro para a população. Durante a Campanha Salarial, o prefeito assumiu o compromisso de realizar o concurso e é isso que tem que ser feito.

Chegou a hora de Adriano Silva assumir seus erros e suas responsabilidades. Servidores e população não aguentam mais passar aperto enquanto o prefeito finge viver em uma cidade perfeita nas redes sociais. Concurso público já!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

seis − 1 =