Descaso da prefeitura com os trabalhadores está prestes a causar tragédia anunciada

Mais uma vez a prefeitura de Joinville vê uma empresa contratada por ela desrespeitar os direitos dos trabalhadores. Na última sexta-feira (15), o jornal O Município publicou um vídeo onde trabalhadores de uma empresa terceirizada realizavam reparos no telhado do Centro de Treinamento da Ginástica Artística sem os equipamentos básicos de segurança.

Não é a primeira vez que empresas terceirizadas pela prefeitura são alvo desse tipo de denúncia. Em março deste ano, o Sinsej denunciou que funcionários da empresa Azulmax, contratada para realizar uma obra no Centro de Bem-Estar Animal (CBEA), trabalhavam em condições análogas à escravidão, sendo transportados em um caminhão baú e trabalhando sem os equipamentos de proteção individual (EPI) necessários. A denúncia repercutiu nacionalmente, porém teve pouco efeito prático. Mesmo com toda a situação degradante proporcionada pela empresa aos trabalhadores, a Azulmax segue sendo contratada para realizar obras da prefeitura na cidade.

O vídeo trazido à tona pelo jornal O Município na última semana só prova que o prefeito Adriano Silva (NOVO) não está nem ai para os trabalhadores. Sete dias após a o Sinsej denunciar o descaso que acontecia no CBEA, o prefeito anunciou que estava criando um grupo de trabalho para fiscalizar as empresas que realizam obras para o município. Com as imagens divulgadas na última sexta-feira, podemos concluir que ou Adriano Silva mentiu ou esse grupo de trabalho é tão ineficaz quanto o próprio prefeito. O poder público não dá conta de fiscalizar e joga a responsabilidade de forma unilateral para a empresa.

Adriano Silva está aguardando uma tragédia acontecer para depois aparecer com cara de abalado em frente às câmeras e tentar algum lucro eleitoral, como fez quando uma calçada cedeu e jogou as pessoas dentro do rio Cachoeira no natal de 2021.

Permitir que as pessoas trabalhem sem equipamentos de segurança, além de uma irregularidade, é uma irresponsabilidade. É função da prefeitura fiscalizar se as empresas que ela contrata estão seguindo as leis trabalhistas e dando segurança aos seus funcionários. É uma tragédia anunciada que está para acontecer. Adriano Silva está sendo avisado e segue ignorando os avisos. Não adianta depois tentar terceirizar a culpa e se fazer de vítima da situação, como o prefeito adora fazer.

E não são só as empresas terceirizadas que falham na hora de dar segurança aos trabalhadores. A prefeitura também é negligente com a segurança de seus servidores. O Sinsej já encaminhou diversas de denúncias de funcionários do setor de obras que não tem EPI’s para trabalhar ou são obrigados a usar equipamentos desgastados, como luvas rasgadas e sapatos furados.

O sindicato orienta a todos os servidores que estiverem expostos a esse tipo de situação que liguem imediatamente para o Sinsej, pois iremos até o local constatar a irregularidade e cobrar medidas da prefeitura.

Veja o vídeo dos trabalhadores andando sem EPI’s no telhado

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

5 + três =