Joinville é campeã nacional de mortes por dengue

Joinville confirmou nesta segunda-feira a 34ª morte por dengue em 2023. A cidade é a campeã de mortes por conta da doença no Brasil. A cidade registra mais de 27.700 casos e é disparada a cidade mais afetada pela dengue em Santa Catarina.

O número de mortes em Joinville é tão alto, que supera os óbitos de 21 estados do país. Segundo dados do Ministério da Saúde, apenas Rio Grande do Sul, São Paulo, Paraná, Minas Gerais e Espirito Santo, Além de Santa Catarina, é claro, superam o número de mortes de Joinville. Os números catarinenses, inclusive, são alavancados pela cidade. O estado registra 84 mortes e o segundo município com mais vítimas da doença é Florianópolis, com 13 óbitos. Muito abaixo do alarmante registro em Joinville.

O número de pessoas que perderam a vida por conta da dengue em Joinville é fruto do descaso da prefeitura. Em 2022 o Ministério da Saúde alertou o prefeito Adriano Silva (NOVO) de que uma epidemia de dengue poderia atingir a cidade. Porém, nada de preventivo foi feito. Vereadores da base governista ainda culparam a população pelos números do município.

É claro que cada cidadão tem que fazer a sua parte para evitar a proliferação do mosquito transmissor da doença, mas o poder público tem que cumprir com sua responsabilidade. Campanhas incentivando e orientando a população sobre como evitar focos do mosquito, fiscalização de terrenos baldios e cuidados com bueiros e bocas de lobo são funções do poder público. Adriano Silva falhou e foi irresponsável com a população de Joinville.

Não há justificativa para números tão altos, ainda mais se compararmos com os outros anos. Joinville está batendo seus próprios recordes de casos e mortes. Mais uma marca negativa da gestão do partido Novo na cidade.

Além desta situação já ser ruim por si só, ela ainda afeta o sistema público de saúde, que vive situação caótica por conta do descaso do poder público. Com poucos servidores para atender a população, as unidades básicas de saúde já sofriam com grandes filas desde o fim da pandemia da Covid-19. Agora, com mais de 26 mil casos de dengue, o sistema público faz milagre para dar conta do problema. Para se ter uma ideia, seriam necessários cerca de 300 Agentes de Combate à Endemias (ACE) para atender toda a cidade, porém, Joinville tem cerca de 70 servidores concursados na função.

Já passou da hora do prefeito Adriano Silva dar a saúde de Joinville. Fazer o concurso público para garantir o atendimento de qualidade para a população, assumir sua responsabilidade de gestor da cidade e definir medidas de prevenção e combate à dengue. O título de cidade campeã de mortes no país não é algo a se comemorar, embora a prefeitura tenha trabalhado arduamente para chegar a esse posto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

16 − 12 =