Sem avanços na mesa de negociação em Joinville

Ulrich Beathalter alegou ser incompreensível a lentidão da Prefeitura de Joinville em responder os servidores | Foto: Johannes Halter
Ulrich Beathalter alegou ser incompreensível a lentidão da Prefeitura de Joinville em responder os servidores | Foto: Johannes Halter

Mais uma reunião foi realizada nesta quinta-feira (17/4) da mesa de negociação joinvilense da Campanha Salarial 2014. Foram debatidos 17 itens. O resultado foi o mesmo da última reunião: nenhuma resposta definitiva do prefeito Udo Döhler (PMDB). Como no último encontro, a gestão não apresentou dados formulados para debater os pontos.

“A impressão que temos é de que, mesmo com a pauta protocolada há quase 50 dias, o prefeito está lendo pela primeira vez o documento a cada reunião”, observou o presidente do Sinsej, Ulrich Beathalter.

Para o sindicalista, a lentidão do poder Executivo é incompreensível. No final do ano passado, alega, a própria administração municipal havia expressado o interesse de resolver as negociações antes da data-base da categoria, que é 1º de maio.

Assembleia avaliará negociação

Os diretores do Sinsej alertaram na reunião haver uma assembleia geral dos servidores marcada para 24 de abril. O evento ocorrerá às 19 horas, na Câmara de Vereadores. O objetivo será avaliar as respostas da Prefeitura, ou sua ausência, e decidir os próximos passos da Campanha Salarial.

Devido a isso, uma nova reunião foi incluída para terça-feira no calendário de mesas de negociação. O outro encontro será quinta-feira. O Sinsej reforça a convocação de todos os servidores para a assembleia geral do dia 24 de abril. Em pauta, a avaliação e deliberação sobre os resultados da Campanha Salarial.

A reunião desta quinta-feira também abordou a questão dos projetos da terceirização, em tramitação de urgência na Câmara de Vereadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − 2 =