Reunião em Joinville termina sem avanços

Hoje (16/11) pela manhã diretores do Sinsej participaram de reunião na Prefeitura de Joinville. O prefeito, Udo Döhler, informou que não fará o pagamento do recesso para os servidores que trabalham no fim de ano e também não concederá o abono natalino, este previsto no Estatuto da categoria.

Para o diretor do sindicato, Ulrich Beathalter, Udo preferiu novamente apostar na ilegalidade e no arrocho aos trabalhadores para manter em dia as contas com os grandes empresários. “É a segunda vez que o prefeito lança uma portaria para interromper uma conquista que é garantida pelo Estatuto do Servidor, cancelando o abono natalino”.  Essa mesma portaria também é responsável por impedir o gozo e indenização da licença prêmio.

Questionado sobre o pagamento da primeira parcela do décimo terceiro salário, Udo falou que a previsão é para o dia 30 de novembro. Já o calendário escolar de 2017 deverá ficar pronto na primeira semana de dezembro. Segundo o prefeito, a princípio os feriados e recesso de julho serão mantidos.

Durante a reunião, foram abordados ainda a licença paternidade e a retirada da falta injustificada aos servidores do Hospital São José, na paralisação de 17 de dezembro de 2015. O prefeito garantiu que a partir de 2017 esses dois requerimentos serão atendidos. Udo alega que devido o ano eleitoral, não pode cumprir esses dois acordos da Campanha Salarial em 2016.

Para finalizar, os diretores do sindicato lembraram o prefeito da situação da escola municipal Nilson Bender. A Secretaria da Educação informou o fechamento das turmas de nono ano a partir de 2017. Os estudantes deverão se formar na escola estadual Marli e Maria. Hoje, às 19h, pais, alunos, sindicato e servidores participam de reunião na escola na tentativa de barrar esse ataque do governo municipal. Udo falou que iria verificar essa questão.

Assembleia na quinta

A saída para os servidores de Joinville é a mobilização. Somente a organização da categoria irá impedir a retirada de mais direitos. Amanhã (17/11) os servidores participam de assembleia, às 19 horas, no Sinsej. Todos os trabalhadores devem comparecer e lutar para barrar o decreto sobre o abono e garantir o pagamento do recesso aos colegas que permanecerão nos locais de trabalho durante o recesso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × quatro =