Sobre os relógios para os servidores

Assistimos nos últimos dias à polêmica criada sobre a distribuição dos relógios para os servidores de carreira da Prefeitura. Estranhamente, promotor e Ministério Público intervém agora numa prática corriqueira e histórica. Acompanhamos com preocupação o desenrolar dos fatos, haja vista os desdobramentos que essa discussão pode causar.
O servidor público é um trabalhador como outro qualquer. E como trabalhador, precisa ser valorizado pelo desempenho de sua atividade e ter sua carreira reconhecida. Ora, é prática corrente – inclusive na iniciativa privada – a premiação dos trabalhadores ao completarem certo tempo na carreira. Não há nenhuma anomalia nisso, muito pelo contrário.
A prefeitura, comodamente, acata a sugestão do Ministério Público, sem nenhum questionamento. Seria comodidade ou tem relação com redução de custos? Porém, com a omissão do governo e a ação do MP, abre-se uma via perigosa para nossa categoria, na medida em que outros benefícios podem vir a ser questionados e a Prefeitura prontamente “adequar-se”. Afinal, a cesta do final de ano, o sorteio de brindes (como ocorreu recentemente…) daqui a pouco podem ser alvo do mesmo tipo de questionamento. Por outro lado, por que o MP não questiona as subvenções do governo para ONG’s, associações diversas e empresas?
Os servidores não podem ficar à mercê do revanchismo político de setores do Poder Judiciário e nem do oportunismo do arrocho financeiro do poder público. Exigimos respeito e valorização da nossa carreira, respeito e valorização do trabalhador!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

16 + 10 =