Comunidade apoia a GREVE!

A população de Joinville demonstrou ontem (6/6) grande apoio à greve dos servidores públicos e reprovação do governo Carlito Merss. Com a Praça da Bandeira lotada por mais de três mil pessoas, o presidente do Sinsej, Ulrich Beathalter, explicou à comunidade os motivos da paralisação e lembrou a importância do serviço público: “Nós sabemos o quanto essa cidade merece e precisa de obras, mas também sabemos que o que mais a comunidade precisa é de postos de saúde, PAs e do Hospital Municipal São José funcionando plenamente”, afirmou.

Diversas vozes da sociedade se manifestaram favoráveis ao movimento. A coordenadora do Sinte – Joinville, Clarice Erhardt, lembrou que a greve dos trabalhadores em educação do Estado também já chega aos 20 dias e que a intransigência dos governos é semelhante.  “O que os servidores municipais passam, nós também passamos”, afirmou. A presidente da Federação dos Trabalhadores Municipais de Santa Catarina, Jucélia Vargas de Jesus, relatou que as prefeituras da região têm negociado e concedido aumento real aos servidores. “De 2004 até agora as prefeituras nunca arrecadaram tanto, então é o momento, sim, de nós irmos para a rua reivindicar o que é nosso”, falou.

Agora, com a coordenação do Sinsej, a comunidade se organizará em núcleos para levantar as principais reivindicações da população. “Nada vem de graça para os trabalhadores, tudo precisa ser conquistado com luta”, lembrou o presidente da Associação de Moradores do Bairro Adhemar Garcia, Moacir Nazário.

O presidente da União Joinvilense dos Estudantes Secundaristas, Iago Paqui, afirmou que os estudantes apóiam a movimentação: “Reafirmamos nosso total apoio à luta dos servidores”.

A assessora jurídica do Centro dos Direitos Humanos, Cynthia da Luz, lembrou a história de luta dos brasileiros: “Nós que elegemos um presidente trabalhador para dirigir esse país, queremos agora ter um prefeito que atenda às nossas reivindicações, que respeite a dignidade e que respeite os trabalhadores e as trabalhadoras”, falou.

Uma nova assembleia popular está marcada para quarta-feira (8/6), às 18 horas, na Praça da Bandeira. Nesse dia, está marcada uma nova rodada de negociações entre a Prefeitura e o sindicato, ás 11 horas, e a continuidade da Audiência Pública da Câmara de Vereadores, às 14 horas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

2 + doze =