Prefeito Udo bloqueia as contas do Sinsej

Atendendo ao pedido da Prefeitura de Joinville, o juiz Stanley da Silva Braga determinou o bloqueio das contas bancárias do Sinsej. Diante desta situação, as empresas conveniadas com o sindicato podem não receber o repasse de valores relativos a compras, serviços ou empréstimos realizados pelos servidores por meio da entidade.

Os trabalhadores da Prefeitura compram com desconto em folha de pagamento em diversos estabelecimentos conveniados com o Sinsej. Todos os meses, a Prefeitura desconta dos servidores aquilo com o que eles se comprometeram e repassa estes valores diretamente ao sindicato, que deposita para as empresas. Ao todo, esta transação movimenta cerca de R$ 300 mil por mês. É este o recurso do qual a Prefeitura se apropria ao bloquear as contas da entidade.

As entidades de classe Acij, CDL e Ajorpeme também serão comunicadas, para que orientem suas associadas sobre o risco de inadimplência oriundo da medida judicial da Prefeitura.

O Sinsej reafirma que esta medida judicial não interfere no movimento grevista, que seguirá organizado até que o prefeito Udo Döhler (PMDB) apresente uma proposta condizente com os anseios da categoria. “A decisão do prefeito em não negociar e impor sansões só está conseguindo piorar a oferta de serviços públicos à população”, disse o presidente do sindicato, Ulrich Beathalter. “Além disso, começa agora a impor prejuízos financeiros ao comércio e às empresas de Joinville”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

19 − seis =