Sinsej cobra qualidade em educação e permanência de ACTs em Joinville

A direção do Sinsej conversou nesta semana, dia 1º, com a Secretária de Educação de Joinville, Sonia Fachini, para tratar da permanência dos professores contratados em caráter temporário  e da resolução do Conselho Municipal de Educação sobre a educação a distância. De acordo com Sonia, não há como manter a contratação vencida sem amparo legal.

Para resolver esse impasse e garantir que profissionais da educação temporários não sejam demitidos nesse momento de crise, no qual dificilmente conseguirão nova contratação em outras escolas, o Sinsej apresentou à Câmara Municipal um projeto de lei e pede a colaboração de todos para sensibilizar os vereadores a apresentarem o texto. (saiba mais no link:  https://www.sinsej.org.br/2020/04/sinsej-projeto-estabilidade-acts/)

Educação a distância na rede municipal não é inclusiva e nem responsável

Na semana anterior, a secretária havia prometido que o Sindicato participaria do debate do Conselho Municipal de Educação acerca da possibilidade de educação não presencial em tempos de quarentena, o que não aconteceu. A resolução foi deliberada às escuras e sem a participação do Sindicato e tende apenas a tornar precária a educação do município, além de discriminar os alunos e também professores que não possuem o acesso às tecnologias necessárias para isso. Ainda por cima, os trabalhadores em educação sequer têm capacitação para essa modalidade de ensino e agora deverão cumprir jornada maior para se capacitar, preparar e aplicar as aulas com conteúdo diferenciado.

Para a direção do Sindicato, a melhor solução para a reposição das aulas deve ser discutida com os educadores e demais profissionais da área, com um planejamento de atividades extraclasse, orientadas de forma presencial após o período de quarentena visando cumprir as 800 horas aula.

Na reunião, Sonia informou que não haverá recesso no mês de julho e que a partir desta sexta-feira, dia 3, haveria treinamento online para os professores utilizarem da tal plataforma. Informou também que a recuperação das horas dos auxiliares e demais servidores que não trabalham com planejamento será negociada com a própria chefia.

Neste momento de pandemia de Covid 19, precisamos garantir o cumprimento do isolamento social em defesa da saúde, da vida dos servidores e de toda a comunidade escolar, com tranquilidade e responsabilidade. Essa resolução é irresponsável,  põe em risco a qualidade da educação de Joinville e não garante a inclusão do ensino de 100% dos alunos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

10 + 8 =