Servidores definem pauta final da Campanha Salarial 2024

Nesta quarta-feira (28) aconteceu a primeira assembleia geral da Campanha Salarial 2024. A categoria lotou o auditório do sindicato e definiu a pauta final da Campanha, além de debater outros assuntos de interesse dos servidores.

O principal tema de debate na reunião foi a intenção da prefeitura de implantar as Organizações Sociais (OS) no serviço público, em especial na saúde e na educação. O sindicato e a categoria são contrários a essa medida e não vão medir esforços, incluindo paralisações ou greve, para barrar essa tentativa de terceirização. Esse ponto será tema central na Campanha Salarial.

Nenhum item da pré-pauta foi retirado, mas outros foram incluídos: a progressão dos analistas de TI do nível 15 para o 17, a progressão dos monitores dos museus do nível 10 para o 12 e a cobrança pelo aumento no número de professores na Casa da Cultura. A pauta final foi aprovada pelos presentes e já foi protocolada na manhã desta quinta-feira (29) na prefeitura.

Veja a pauta final da Campanha Salarial 2024

De acordo com o andamento das negociações o sindicato irá anunciar a data de uma nova assembleia para debater os desdobramentos das discussões com o poder executivo.

A assembleia ainda abordou outros temas e começou com a direção do sindicato dando informes para a categoria:

Direção do sindicato protocolou a pauta na prefeitura na manhã seguinte a assembleia – Foto: Vitor Forcellini

Ponto eletrônico

Servidores do Hospital São José relataram problemas para bater o ponto eletrônico. Muitas vezes o sistema não registra e os funcionários precisam bater foto enquanto tentam registrar sua chegada ao local de trabalho para comprovar presença. O sindicato cobrou que a prefeitura resolva o problema e recebeu como resposta que o executivo está analisando alternativas para que os servidores registrem sua presença. O Sinsej pediu a troca do ponto do hospital enquanto os novos métodos não são implantados.

Progressão dos auxiliares

O sindicato cobrou da prefeitura o pagamento retroativo da progressão para os auxiliares escolares e auxiliares de educador. O executivo levou três meses para liberar a inclusão de certificados da categoria no sistema. O Sinsej quer que os auxiliares recebam desde o mês em que a lei foi sancionada.

Concurso Público

                Desde que assumiu o sindicato, a atual diretoria cobra incessantemente a realização de concursos públicos. Na última reunião com a Secretaria de Gestão de Pessoas o sindicato ouviu a promessa de que haveria um edital de concurso amplo lançado ainda no primeiro semestre. Nesta quarta-feira a própria prefeitura confirmou publicamente a abertura de 220 vagas para diversas áreas até o meio do ano. Porém, na visão do Sinsej, o número de vagas ainda é insuficiente.

Odontologia

O sindicato pede que os odontólogos tenham sua carga horária aumentada para oito horas diárias. A prefeitura se comprometeu a analisar como funciona a lei em outras cidades.

Profissionais da ESF e do NASF

O sindicato cobra que os servidores das Equipes de Saúde da Família e Núcleos Ampliados de Saúde da Família tenham gratificação proporcional, uma vez que esses profissionais perderam o benefício quando reduziram sua carga horária. A prefeitura afirma que em breve deve mandar um projeto nesse sentido para a Câmara.

Taxa negociável

A presidente Jane Becker esclareceu que a volta do imposto sindical não esteve em pauta. O que foi discutido foi uma taxa negociável a ser paga por servidores não filiados em período de negociação, mas que também não foi aprovada. O sindicato recebeu muitos questionamentos sobre o tema e esclarece que não haverá desconto de imposto sindical e nem de taxa de negociação.

Marcha para Brasília

O último congresso da Central Única dos Trabalhadores (CUT) de Santa Catarina tirou como encaminhamento uma marcha em Brasília (DF) para cobrar no congresso a revogação das reformas que prejudicaram os trabalhadores. Ainda não há data definida, mas o sindicato vai mobilizar os trabalhadores para o ato na capital federal.

 Regularização do regime jurídico dos ACS’s e ACE’s

No final da assembleia, a categoria ainda debateu a questão dos Agentes de Combate à Endemias e Agentes Comunitários de Saúde. O Sinsej pediu para participar da elaboração do plano de ação que a prefeitura terá que fazer para regularizar o regime jurídico das duas categorias. Em reunião com a Secretaria de Gestão de Pessoas, o Sinsej recebeu a promessa do secretário da pasta que seria convidado para as reuniões de elaboração do plano.

 Falta de profissionais no magistério

Diante das diversas reclamações da falta de professores e auxiliares nas escolas e CEI’s do município, a direção do sindicato se comprometeu a organizar junto a categoria atos para dar luz ao problema para a população.

A falta de profissionais é uma reclamação antiga do Sinsej, que constatou as dificuldades dos servidores nas visitas aos locais de trabalho que fez nos últimos meses. Porém, é preciso que essa dificuldade também seja conhecida pelos pais dos alunos e pela cidade em geral. A ideia dos atos é chamar a atenção para o problema, que precisa ser resolvido com urgência.

 

 

 

One thought on “Servidores definem pauta final da Campanha Salarial 2024

  • 1 de março de 2024 em 11:44
    Permalink

    A valorização do servidor.
    Valorizar e investir no servidor público significa respeitar a população que depende do serviço público!
    No ano eleitoral que se aproxima, o atual prefeito que tenta a reeleição,deve se preocupar com seu futuro político e por isso deve procurar
    atender os interesses dos servidores municipais.Assim,eu espero!
    O eleitor joinvillense com seu analfabetismo político que votou no Deputado Federal Zé Trovão deve estar contente,quando o nobre deputado votou contra a Tarifa Social de Água e Esgoto!
    Os deputados bolsonaristas de SC em sua maioria votaram contra a Tarifa! Parabéns ao gado bolsonarista que votam nesses deputados.prejudicando os mais necessitados!
    A leitura e a compreensão da realidade em que vivemos,pode não ser a salvação da humanidade,mas é o primeiro passo!
    O eleitor precisa estar atento quanto ao seu voto em outubro de 2024!

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

três × dois =