Ameaça de terceirização também nas obras

Operadores de máquinas da Subprefeitura Leste se reuniram nesta quinta-feira (10/9) com o subprefeito José Célio Machado e um representante da Secretaria de Gestão de Pessoas. Em discussão estava a mudança de nomenclatura de cargo e a insalubridade dos servidores. O encontro também abordou a intenção da Prefeitura em terceirizar todos os serviços de obras.

Junto com o Sinsej, os trabalhadores cobraram o retorno de sua função para “operadores de máquinas”. A questão está relacionada com a aprovação projeto de lei complementar 48/2013, ainda em dezembro do ano passado. Com a medida, a Prefeitura de Joinville impôs aos servidores a nomenclatura de “condutores de veículos”. Na prática, tentam transformá-los em mão de obra para qualquer função.

Os funcionários também pedem a garantia do pagamento de insalubridade. Atualmente, eles enfrentam vários problemas com o assunto. A administração ignora o benefício, sob a alegação de que o setor não tem os critérios necessários. Porém, a categoria afirma ter o direito enquanto o operador estiver em uma máquina.

Terceirização do setor de obras

A reunião também debateu soluções para outros problemas. Surpreendeu aos diretores do Sinsej no encontro a afirmação de José Célio Machado. “O subprefeito disse com todas as letras que o prefeito Udo Döhler quer privatizar os serviços de obras. Isso nos deixou muito preocupados, já que estamos enfrentando a mesma situação na saúde”, ressaltou o diretor sindical Márcio Avelino do Nascimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três + 14 =